030 A história do pato

A História do Pato

Havia dois irmãos que visitavam seus avós no sítio, nas férias.
Felipe, o menino, ganhou um estilingue para brincar no mato. Praticava sempre, mas nunca conseguia acertar o alvo.

Certa tarde, viu o pato de estimação da vovó, em um impulso atirou e acabou acertando o pato na cabeça e o matou. Ele ficou chocado e triste!
Entrou em pânico e escondeu o pato morto no meio da madeira! Beatriz, a sua irmã viu tudo mas não disse nada aos avós.

Após o almoço no dia seguinte, a avó disse: “Beatriz, vamos lavar a louça”
Mas ela disse: ” Vovó, o Filipe me disse que queria ajudar na cozinha”. E olhando para ele sussurrou: “Lembra do pato?” Então o Felipe lavou os pratos.

Mais tarde o vovô perguntou se as crianças queriam pescar e a vovó disse: “Desculpe, mas eu preciso que a Beatriz me ajude a fazer o jantar.” Beatriz apenas sorriu e disse, “Está bem, mas o Filipe me disse que queria ajudar hoje”, e sussurrou novamente para ele, “Lembra do pato?” Então a Beatriz foi pescar e Filipe ficou para ajudar.

Após vários dias o Filipe sempre ficava fazendo o trabalho da Beatriz até que ele, finalmente não aguentando mais, confessou para a avó que tinha matado o pato.

A vovó o abraçou e disse: “Querido, eu sei, eu estava na janela e vi tudo, mas porque eu te amo, eu te perdoei. Eu estava me perguntando quanto tempo você iria deixar o pecado fazer você de escravo!”

Qualquer que seja o seu passado, ou o que você tenha feito, (mentir, enganar, seus maus hábitos, ódio, raiva, amargura, etc.), seja o que for, você precisa saber que DEUS estava na janela e viu tudo como aconteceu.

Deus sempre está na janela e sabe de tudo, Ele é oniciente, mas nunca lhe acusa, Ele sempre perdoa e aguarda ansiosamente a sua confissão para  esquecer para sempre do seu erro! Ele lhe ama muito!

Ele conhece toda a sua vida. Ele quer que você saiba que Ele te ama e que você já está perdoado. Ele está apenas querendo saber quanto tempo você vai deixar o diabo fazer de você um escravo.

DEUS só está esperando você pedir perdão, Ele não só perdoa, mas Ele se esquece.

A este perdão imerecido e gratuito chamamos de Graça. É somente pela graça e misericórdia de DEUS que somos salvos.

Vá em frente e faça a diferença na vida de alguém hoje. Conte essa boa nova para um amigo e lembre-se sempre: DEUS está na janela e sabe de tudo!

Amem!

020 A lei para os salvos e livres

A Lei

“Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.” Tiago 1:25

Aquele que tem liberdade é alguém que foi liberto de algo, ou seja, não é escravo.

“Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade.” Tiago 2:12

Muitas vezes sugere-se que a liberdade mencionada aqui tem a ver com a libertação do pecado. Mas, eu creio que ela nos libera das ações que resultam em pecado.

Ações que Resultam em Pecado

A lei perfeita, a lei da liberdade é a lei que nos liberta das ações que resultam em pecado. Aquele que não está em liberdade está preso.

Podemos entender que quem não atua pela lei da liberdade, não está liberto em Cristo, não tem a capacidade de simplesmente não pecar, ou seja, é escravo do pecado.

Podemos comparar o pecado com um vício como o da droga, não existe “liberdade” para a pessoa dizer não para a droga, porque a “força” do vício traz uma condição de escravidão.

Mente Dividida

“O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.” Tiago 1:8

Alguém que não atua pela lei da liberdade é considerado alguém de mente dividida, ou como Tiago diz, coração dobre.

O homem de mente dividida tomará uma atitude por algum motivo convincente, e então ele terá outra atitude oposta por uma razão convincente diferente.

A implicação em Tiago é que os motivos convincentes não podem ser opostos uns aos outros. Em um caso, a compulsão pode ser: servir a carne, e no outro pode ser: servir a Deus. É a oposição das forças que enchem o homem de dúvida.

É disso que Paulo fala em Romanos. Portanto, como Deus não recompensará esse homem, só podemos assumir que um conjunto de forças convincentes não são de Deus, não são agradáveis ​​a Deus, se opõem a Deus e, portanto, coloca Deus em desacordo com eles.

Podemos concluir que o homem pode  ser convencido pela força da justiça  ou ser convencido pela força do pecado. Uma vez que o homem de mente dupla não será convencido pela força da justiça o tempo todo, ele não é o homem de Deus. Esse homem ainda está preso à força convincente do pecado.

Qual é a força convincente do pecado?

“Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” Tiago 1:14,15

A fonte do pecado está no desejo do coração. A força convincente do pecado é a luxúria. O que é luxúria? A luxúria é o desejo à satisfação da carne.

A força da luxúria pode ser fraca ou pode ser tão forte que agrava a vontade de fazer. Mas, fraco ou forte, tem o mesmo objetivo, a satisfação dos desejos carnais.

Alguns homens desejam dinheiro; alguns homens desejam status social; alguns homens desejam poder sobre outras pessoas; alguns homens desejam satisfação sexual, e outros homens vão se satisfazer com vícios.

Tendo liberdade, vivendo na liberdade

Se quisermos ter liberdade, como podemos tê-la? Se tivermos liberdade, como vivemos com ela?

Entendemos que a liberdade que temos é a liberdade de resistir à força convincente da luxúria, do desejo a satisfação carnal.

Temos a liberdade de resistir a qualquer força que nos obrigue a pensar ou a fazer qualquer coisa que distraia o coração da força convincente da justiça.

Enquanto nós temos essa liberdade, como isso se traduz em nossa vida?

Para viver uma vida na liberdade proporcionada por Deus, através do sacrifício de Cristo, é preciso assumir a responsabilidade pelas escolhas que se faz.

“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” João 8:31-36

Tiago, Paulo e Pedro tinham entre eles a ideia de liberdade. Eles viram sua condição anterior como um escravo, não só na condição de sua escravidão à luxúria, mas também na escravização de um modo de vida.

Eles encorajaram as pessoas a serem livres de tudo, a serem libertas, independentes e autônomas. Confiando suas almas para ninguém, somente a Deus através de Cristo.

“Mas prove cada um a sua própria obra, e terá glória só em si mesmo, e não noutro. Porque cada qual levará a sua própria carga.” Gálatas 6:4,5

Conclusão

Fomos libertos. Temos a liberdade de escolher a justiça sobre a maldade. Mas, só é liberdade quando escolhemos viver nossa vida nessa liberdade. Se eu for livre e optar por viver minha vida como se eu não fosse livre, então não sou livre. Ainda estou em escravidão.

“Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas.” Tiago 1:21

É nossa escolha deixar de lado a imundície e receber a palavra implantada. Temos a liberdade de fazer isso, de fazer as escolhas para fazer o que é certo, e é nossa responsabilidade viver nessa liberdade.

“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.” Tiago 4:7

010 O livre arbítrio

Nós somos produto (resultado) do meio em que vivemos ou do nosso livre arbítrio?

  • Produto do meio pois no ambiente que vivemos há dois tipos de pessoas: as formadoras de opinião e as que seguem opiniões alheias, numa proporção n:N ( poucas formadoras de opinião para Muito seguidoras); ou
  • Produto do livre arbítrio, pois sempre temos mais de uma alternativa e a decisão em última instância sempre será de foro íntimo.

Pelo exposto acima , podemos facilmente concluir que somos produto da combinação desses dois fatores desde o inicio ou melhor desde antes do inicio do mundo quando Lúcifer, um grande fazedor de opinião conseguiu influenciar a um terços das criaturas celestiais do reino de Deus.

No inicio do mundo, novamente satanás disfarçado de serpente engana Eva, que por sua vez faz a cabeça de Adão. Tanto Eva com Adão tinham a opção da escolha certa, a palavra de Deus, mas escolheram a opção errada e nós conhecemos o resultado até hoje.

Qual é a praia dos formadores de opinião? Como acabar com eles? Porque acabar com eles?

Os formadores de opinião nascem na oposição e é um perseguidor incansável de correligionários,, visa sua ascensão prometendo aos seus seguidores uma série de beneficies, melhores que os benefícios atuais fornecidos pela posição, e o principal, sem que os seguidores tenham que fazer nada além do que já fazem ou até mesmo, fazendo menos!

Para acabar com esses formadores de opinião (enganadores e falsos profetas) não devemos e não podemos usar as mesmas armas, nesse campo de batalha a melhor defesa não é o ataque.

Trata-se de um conflito espiritual, a guerra não é contra a carne, é contra satanás, o grande enganador, aquele que convenceu, como vimos, um terço das criaturas celestiais e Eva. Como podemos atacá-lo? Não podemos, seriamos facilmente derrotados, mas podemos nos proteger dele usando a blindagem que todos temos a nossa disposição, basta exercermos a nossa opção/escolha de nos apropriarmos dessa blindagem.

Lembre-se que essa blindagem especial composta da armadura, do elmo, do cinto, do escudo, das sandálias e da espada; é feita sobre medida para você, não há modelo genérico ou tamanho único, não dá para mandar buscar pois é pessoal e intransferível. Leiamos Efésios:

“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;
E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;
Tomando sobretudo o escudo da, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,
E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, Pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar.”  Efésios 6:11-20
Amém!